4 erros mais comuns ao participar de uma licitação pública

4 erros mais comuns ao participar de uma licitação pública

Entrar no mundo das licitações exige que empresários e funcionários fiquem bastante atentos. Esse é um processo muito burocrático, mas que atrai as pessoas por conta da vantagem financeira e da experiência de oferecer um produto ou serviço para a Administração Pública. Qualquer erro ou deslize, no entanto, pode acarretar a desclassificação da companhia, que investiu horas e capital para participar da licitação pública.

Para você entender um pouco sobre os erros mais comuns que as empresas cometem ao participar de uma licitação pública, preparamos este post como uma forma de prevenção e atenção. Quer saber como evitar desgastes e prejuízos? Continue a leitura!

1. Não atentar às regras do edital

O edital é o documento mais importante de todo o processo de licitação pública. Antes de você arriscar sua participação, reserve um tempo com a sua equipe para ler atentamente todos os itens descritos. Essa é uma etapa essencial para o sucesso licitatório, já que é no edital que estão os requisitos, as formas de concorrência e os detalhes do produto ou serviço que será oferecido.

É muito comum que empresas apresentem toda a documentação sem atentar para as informações contidas no documento cedido pela Administração — esse é um dos erros mais graves! Além de a desatenção poder implicar desclassificação, a empresa pode, por sorte, ser eleita, sem sequer saber o que exatamente deve oferecer.

Um contrato de licitação é repleto de obrigações à empresa e à Administração. Qualquer cláusula não cumprida pode gerar multas e demais sanções — e essas advertências podem destruir a reputação de uma companhia.

2. Colocar o nome da empresa no documento de proposta

A fim de garantir a transparência na contratação de produtos e serviços, os processos licitatórios exigem que qualquer candidatura seja anônima. Essa regra é essencial para que a população perceba que não existem empresas beneficiadas e lucrando sem passar por todos os trâmites da licitação.

Ainda que essa seja uma regra básica, muitas companhias anexam documentos timbrados com o seu nome ou com a sua logomarca. Esse é um erro bastante comum e que também implica desclassificação, ou seja, a empresa dispenderá de esforço, tempo, dinheiro e pessoal para, no final, perder a chance por falta de atenção.

3. Registrar o preço mais baixo

Essa é uma prática bastante recorrente no mundo das licitações públicas. Ainda assim, deve ser evitada! Empresas principiantes, principalmente, costumam participar das licitações por meio de preços muito abaixo do mercado. Essas companhias optam por essa prática para vencer a licitação a qualquer custo.

Além de isso gerar extrema desconfiança, pode causar prejuízos para uma empresa que, sem fazer os devidos cálculos, oferece um serviço por um preço abaixo do custo.

Desse modo, apresentar uma proposta com preço comum, que é praticado no mercado, é a melhor forma de participar de uma licitação e merecê-la. Essa decisão beneficia a empresa, que continua com sua reputação intacta, e também beneficia a Administração, que paga por um serviço bem executado.

4. Esquecer de acompanhar o processo

Participar de um processo licitatório não se restringe à entrega de documentos. É preciso que a empresa se dedique a acompanhar todos os procedimentos envolvidos nessa prática.

Para isso, é essencial que uma companhia acompanhe as fases embutidas no processo licitatório, ou pode perder a oportunidade de oferecer novas propostas, apresentar documentações pendentes, entre outras exigências da Administração.

Além disso, é papel do empresário ficar de olho na transparência e nas práticas que a Administração Pública adota na contratação.

Evitar os erros mais comuns de um processo de licitação pública é uma das etapas mais importantes para que se chegue à contratação.
Não deixe de observar de perto! Confira conosco também o Guia de bolso para participar de preção eletrônico!

Compartilhe